Fashion Brands History: como a Gucci se transformou na marca que mais cresce do seguimento

Matheus Fayad (2º semestre)

A Gucci é atualmente uma das maiores grifes de luxo que conhecemos, sendo uma das mais valiosas marcas do mundo. A grife surgiu em 1921, pelas mãos de Guccio Gucci, que era maleiro e filho de artesões.

Fundada em Florença, a marca nasceu como uma loja de malas de alto padrão. Entretanto, devido a todo sucesso que a marca fazia, na década de 1930 já era desejada pela elite italiana. Em 1938, a marca abre sua primeira loja em Roma, a capital do país. Em 1947, um dos maiores ícones da marca era criado, a linha de bolsas com alça de bambu, que em pouco tempo já era usada por todas as celebridades, e até hoje o modelo é extremamente desejado.

Só nos anos 1950, com a morte do fundador da marca em 1953, lojas em Nova Iorque e em outros grandes centros urbanos dos EUA foram abertas, possibilitando a marca ser o que é hoje.

Após o falecimento de Guccio Gucci, seus filhos reinventaram inúmeras características da marca, como foi a criação do Horsebit Loafer, um mocassim de couro com fivelas de metais e as clássicas faixas verde e vermelha que estampam a marca até os dias de hoje. Nos anos 1960 e 1970, foi o momento de internacionalização da marca, abrindo lojas em Londres, Tóquio, Chicago, entre outras grandes metrópoles mundo a fora.

No final dos anos 1980, a marca não estava em um dos seus melhores momentos e em 1993 o último integrante da família vendeu suas ações. Sob nova direção, Tom Ford foi contratado como diretor-criativo da marca, revolucionando-a. Relançou inúmeros ícones da marca, como as bolsas com alças de bambu. Além disso suas coleções eram mais sensuais e contemporâneas, tirando a imagem antiquada que a Gucci vivia naquele momento. Em 2004 foi ano de Frida Gianini ser contratada como diretora-criativa, a marca voltou com tudo para os editoriais e revistas de moda.

 A marca nos dias atuais

Desde 2015, o polêmico Alessandro Michelle é quem cria as coleções da marca, propondo algo totalmente inovador, o italiano tenta sempre usar símbolos de moda do passado, se inspirando até na moda dos anos 1920. Na Gucci há alguns anos, desde suas primeiras coleções sempre tentou mostrar a androginia, não fazendo distinções de gênero nas passarelas desde 2017, quando a Gucci anunciou que as coleções masculinas e femininas seriam desfiladas juntas.

A Gucci desde que começou a se transformar, principalmente com a chegada de Michelle, faz muito sucesso, de acordo com o BrandZ, criado por WPP e pela Kantar, a grife a marca que mais cresce dentro do mundo da moda, crescendo 66% apenas em 2018.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s