Fashion Brands History: o legado de luxo e sofisticação da Valentino

Matheus Fayad (2º semestre)

A Maison Valentino, fundada em 1957 por Valentino Garavani, é uma das mais tradicionais grifes de luxo italianas.

Valentino iniciou seus estudos de moda em Paris. No começo dos anos 1960 ele volta a seu país natal, abre um estúdio em Roma e, em 1962, apresenta sua primeira coleção na cidade de Florença, o que foi um sucesso. O estilista se tornou um ícone da moda, vestindo várias personalidades do momento. Ainda nessa época, bomba uma de suas mais icônicas criações: o vermelho Valentino, popularizado pelos seus vestidos da cor. O sucesso foi tão grande que, atualmente, a marca possui uma divisão chamada Red Valentino, que tem como objetivo trazer peças contemporâneas, mas sempre mantendo o clássico estilo da marca.

No final dos anos 1960 e início dos anos 1970, Valentino cresceu internacionalmente, criando uma parceria com a Giancarlo Giammetti e em 1967 ganhando o prêmio Neiman Marcus Fashion Award pela sua coleção “Valentino’s White”, onde o icônico “V” da marca surgiu. Em 1968, a primeira loja em Paris é inaugurada.

A década de 1970 foi marcada pelo lançamento das linhas femininas e masculinas de ready-to-wear e da inauguração das lojas da marca em Roma e em Milão. Em 1975, aconteceu o primeiro desfile da marca na cidade de Paris, logo depois, em 1978, a loja de Tóquio, no Japão foi inaugurada.

Na década de 1980, Valentino conseguiu entrar para a câmara sindical de alta costura, em que apenas estilistas franceses conseguiam cumprir os rigorosos requisitos. O estilista foi o primeiro italiano a ser aceito nesse seleto grupo. Já nos anos 1990, mais precisamente em 1991, o estilista cria, em protesto contra a guerra do golfo, o que foi chamado de “O vestido da Paz”, um vestido branco com a palavra ‘paz’ escrito em 14 línguas diferentes.

No final dos anos 1990, a marca foi vendida para o grupo Fiat. A estratégia utilizada não funcionou, fazendo a marca ser vendida novamente, em 2002, para o Martozzo Group, conglomerado de marcas. Em 2003, foi lançada a marca Red Valentino, como uma divisão da grife.

Em 2007, o estilista, já com 75 anos, anunciou sua aposentadoria com um último desfile lendário na cidade de Paris. A apresentação contou com grandes personalidades. Apenas em 2012, a marca chegou ao Brasil, inaugurando sua loja no shopping Cidade Jardim, na cidade de São Paulo.

A Valentino nos dias atuais

Atualmente, a grife tem como seu diretor criativo Pierpaolo Piccioli, que em 2019 foi listado pela revista Times como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo. Em entrevista para a revista Vogue, o estilista diz: “Quero adotar mais cultura, mais pessoas, mais diversidade, por meio da Valentino”.

A marca, nos dias de hoje, mesmo estando em quarto lugar no The Lyst Index, que lista as marcas mais populares do momento, ainda continua popular. A jornalista e fundadora da agência TGB Comunicação, Tabata Bocatto, conta que a Valentino, embora tenha anos de tradição e uma incrível história, carece de uma melhor comunicação. “É uma marca que precisa de um trabalho mais focado na comunicação e no digital. A grife precisa contar mais a história da marca e trazer mais inovações, apesar de ter produtos que se vendem muito bem, ainda falta um melhor posicionamento”, ressalta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s