João Braga ministra palestra sobre maison Dior

Faap comemora os 70 anos da Christian Dior com aula sobre a história da grife francesa

O aniversário de 70 anos da Dior foi comemorado no Brasil com uma palestra na Fundação Armando Álvares Penteado, no dia 26 de setembro. O mestre em História da Moda pela Esmond de Paris e membro da Academia Brasileira da Moda, João Braga foi o responsável por ministrar a aula sobre a tradicional maison.

João bJoão Braga. Foto: Divulgação

Foi contada a história de vida do costureiro Christian Dior, que desde pequeno se interessava por arte. O pai queria que o ele se formasse em ciências contáveis, mas o seu talento como designer o fez receber uma proposta: assumir a maison Worth – que na época pertencia aos filhos do criador da Alta Costura, Charles Frederick Worth. Ambicioso, o jovem só aceitou a proposta com uma condição: montar sua própria maison, com o seu nome e assim, em dezembro de 1946, nasceu a casa Dior.

O costureiro se tornou lenda com sua mais famosa e revolucionária criação em 1947, o New Look. No período pós-guerra, no qual o país se acostumou com o racionamento de materiais, Dior cria uma peça feita por metros de tecido, devolvendo o glamour para a moda. O modelo que marcava a cintura da mulher e lhe devolvia o volume ao quadril ganhou o público feminino da Europa e da América.

João comentou sobre a importância da marca francesa no pós-guerra e em como ela influenciou a economia do país em seu reestabelecimento. Segundo o historiador, uma pequena exposição foi mandada aos Estados Unidos para atrair o olhar da mulher americana de volta para a Europa.

A palestra seguiu com a apresentação dos ostureiros que passaram pela maison. Yves Saint Laurent como primeiro sucessor de Christian Dior ficou dois anos na grife até investir em sua própria marca. Marc Bohan, costureiro que comandou a Dior por três décadas, desenhou o vestido de casamento de Farah Pahlavi, última imperatriz do Irã.

FarahDiba Dior                          Farah Pahlav. Foto: Divulgação

O italiano Gianfranco Ferré também contribuiu para a Christian Dior, até a chegada de John Galliano em 1997. Raf Simons assumiu a Maison em 2012 e desde 2016 a Dior conta com a italiana Maria Grazia Chiuri, primeira costureira mulher da maison francesa.

Ao final da palestra foi passado um vídeo do desfile que comemorou os 60 anos da Christian Dior. Pela passarela montada no Palácio de Versalles 60 modelos, incluindo Gisele Bündchen e outras quatro brasileiras, desfilaram modelos de John Galliano. A coleção de outono-inverno – 2007, foi inspirado em pintores impressionistas e modernos. Para finalizar, João Braga conclui que nem tudo foram rosas afinal, “o preço da genialidade é a depressão”, completa.

Por Beatriz Poletto
Edição Manuela Nogueira e Bruna Ribeiro