Bate-papo com Carol Hungria sobre jornalismo de moda

Na última quinta-feira (22) Carol Hungria participou de um bate-papo com as alunas do blog Pesponto em Pauta, da faculdade ESPM-SP, contando sua trajetória como jornalista. Há quase 20 anos no mercado e recém contratada pela revista Harper’s Bazaar, a editora relatou suas experiências profissionais e deu dicas para o futuro da moda brasileira.

IMG_2913
Carol discursou sobre a importância do jornal online. Foto: Alana Ferrer

Quando questionada sobre sua rotina em uma redação, a ex-editora chefe da revista online Vogue Brasil falou sobre a necessidade de estar sempre atualizada sobre o mercado da moda. “Ao acordar, a primeira coisa que faço é entrar nos sites internacionais que costumam dar os primeiros furos da indústria, como o Women’s Wear Daily e o Business Of Fashion“, disse. Após filtrar as notícias, as informações essenciais já entram direto no site da revista.

Outros portais que a editora julga importantes são o New York Times Fashion Style, que ela assina, e os sites da Vogue Britânica e Americana. Uma dica da profissional foi usar o aplicativo Feedly, que funciona como um filtro, onde é possível cadastrar os jornais online que você deseja receber notícias.

Quanto as imagens usadas pela revista, ela alega usar as fontes Getty Images e Heuters. “Roubar fotos é proibido, é um problema que costuma acabar em processo”, comentou.

IMG_2881
Sobre as blogueiras de moda, a editora garante que, além da parceria essencial, elas também são fontes de informação. Foto: Alana Ferrer

Carol relatou também sobre a relação dos jornalistas com os leitores. No jornal online, a possibilidade de o público interagir com a matéria pelos comentários acaba abrindo portas para críticas, que devem ser respondidas uma por uma. Quanto aos possíveis erros nas reportagens, a editora diz: “Hoje em dia, nada mais se apaga. Alguém terá um print daquela página. Então é necessária a correção, com a nota do editor no final da reportagem indicando a correção.”

Por fim, Carol comentou que existe uma diferença de públicos do jornal online e do impresso e a meta da jornalista é a unificação desses públicos, já que o futuro do jornal impresso é incerto.

Por Beatriz Poletto

Edição: Larissa Kazumi